Cálculo da pegada Ecológica de Cidades e Estados e Oficinas sobre o tema

A ecosSISTEMAS identificou a Pegada Ecológica como um dos seus principais indicadores para a sustentabilidade em 2005, graças ao potencial de mensuração dos limites de exploração dos recursos planetários.

Em 2007 nos tornamos oficialmente parceiros da Global Footprint Network e começamos a colaborar com os comitês oficiais da rede. Em 2009, auxiliamos na criação dos Ecological Footprint Standards e realizamos o primeiro curso técnico em Pegada Ecológica no Brasil com o suporte do cientista sênior da Global Footprint Network, Alessandro Galli, onde formamos técnicos do Brasil, Chile, Peru e Argentina.

Em 2010 participamos do Footprint Forum, em Colle di Val d’Elsa, e fomos agraciados com o State of Art in Footprint Science. Foi também em 2010 que encontramos o nosso mais importante parceiro para a aplicação da metodologia, WWF Brasil.

Nesta frutífera parceria com a WWF e a Global Footprint Network realizamos em 2010 o cálculo da Pegada Ecológica de Campo Grande, capital do estado de Mato Grosso do Sul, um projeto piloto de aplicação metodológica em território brasileiro.

Em 2012 realizamos o estudo para a maior cidade do hemisfério sul do planeta, São Paulo, e do estado mais populoso do Brasil, o Estado de São Paulo em tempo recorde para a apresentação durante a abertura da RIO+20. A Pegada Ecológica de São Paulo também trouxe uma análise em diferentes classes de rendimento familiar, estudo inédito mundialmente.

Em 2013 o WWF-Brasil novamente contrata a ecosSISTEMAS para calcular a Pegada Ecológica. Neste trabalho calculamos a Pegada Ecológica de Rio Branco/AC e de Natal/RN. Os resultados destes trabalhos serão lançados em 2014 .

Trabalhamos também desenvolvendo oficinas de introdução e capacitação ao tema da Pegada Ecológica.


Projetos realizados